chocolate


eu nem devia ter o coração acelerado, borboletas no estômago e a ti no meu pensamento. não devia, não está certo. nem te conheço como deve ser, imagina se acontecesse. tinha um ataque. se já estou assim por tão pouco, nem quero imaginar se te tivesse a sério. já fico com ciúmes cada vez que uma rapariga fala contigo e não era para ter. lá estou eu a apegar-me a coisas que não existem, que não tenho. faço sempre isso, a única diferença é que contigo, bem, já troquei alguns comentários. wow, é mesmo muita coisa. mas vá, eu desta vez tenho outra postura, estou bem comigo. "corre atrás se não alguém passa na tua frente", eu estou a andar em passo rápido, quase a correr. portanto, faz um favor e corre para mim também.

is she talking to MY boy?

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

i'll kill that bitch.


Delírios de Amor - LI (final)


 Oito anos passaram e Iara e Fábio estavam cada vez mais apaixonados. Estavam juntos desde que fizeram a viagem a Brasil e daí continuaram. Acabaram o 12º ano, e mesmo estando em cursos diferentes a sua relação manteve-se intacta e mais forte que antes. Tinham as suas zangas, mas ambos não aguentavam muito tempo chateados. Simplesmente a distância um do outro, os fazia querer estar mais perto ainda. E assim continuou. Fábio não tinha dúvidas de que Iara seria a mulher com quem ele iria construir uma família, viver o resto da sua vida e especialmente amar para o resto da sua vida. Tal como Iara. Ambos sabiam perfeitamente que tinham encontrado o seu par. Podiam não sei perfeitos, os dois tinham os seus defeitos, mas ambos aprenderam a amá-los e a aceitá-los como nenhuma outra pessoa foi capaz de fazê-lo e por isso o seu amor foi como foi, é como é. Quando faziam 8 anos de namoro, Fábio finalmente pediu a mão de Iara em casamento. No lugar onde passaram a meia noite de Natal, onde ele entregou-lhe aquele precioso anel que ela guardou e usou desde esse dia. Ele, em frente de todas as pessoas que passavam na praça durante o final da tarde, ajoelhou-se naquele coreto e pediu Iara em casamento. Dizendo-lhe as mais sinceras palavras vindas do seu coração, sem nenhuma mentira ou exagero, apenas tudo o que sentia, deixando-a num mar de lágrimas de felicidade por saber que finalmente tinha encontrado o rapaz que a fazia mais feliz do que qualquer outra pessoa e que a história deles não seria apenas um namoro durante a sua adolescência. Mas sim uma história que começou de uma amizade verdadeira, para um amor verdadeiro, aquele amor que todas as raparigas querem. Ela viu nos olhos dele que ele estava a ser sincero, que a amava mais que tudo no mundo e que ele era o tal. Sem hesitar, ela disse "Sim! Mas é claro que sim". A partir daí, nada mais importava, não que antes importasse mas agora muito menos. O mundo era deles. Nenhum deles teve dúvidas do sentimento que sentiam. 
 Mais dois anos passaram, e nesses dois anos Fábio e Iara tiveram o seu casamento de sonho. Claro que ela fez questão de chegar atrasada só mesmo para chateá-lo um pouco. Nesses anos, também tiveram o seu primeiro filho, ou melhor, filha. Margarida era a coisinha mais linda que ambos já tinham visto e com ela trazia o melhor dos pais. Olhos azuis do pai e as bochechas gordinhas da mãe. Sem esquecer do Benny e da Angel, ambos encontraram a sua alma gémea e nada os impediu de encher a casa de Iara e Fábio num lugar infestado de gatinhos. 
 Margarida já tinha 6 anos quando recebeu um irmãzinho, Gonçalo. Iara e Fábio dedicavam a sua vida aos seus filhos e ao seu bem estar. Mas o mais importante ao seu amor um pelo outro e na sua relação. Nunca se fartavam um do outro porque completavam-se e eles sabiam que isso nunca iria mudar. E é por isso que continuaram juntos até o último segundo das suas vidas, sem se arrependerem de nada. Iara agradeceu por ter ido àquela festa com a Vanessa, por ter conhecido Fábio, por se terem tornado grandes amigos, por se terem separado, por se terem reencontrado de novo, por ter ido àquela viagem com ele ao Brasil. E ele, faz o mesmo. Tudo acontece por alguma razão, e a história deles não é exceção. 

chocolate


não sei porque lá estavam tantas pessoas, só reparei no facto de tu lá estares a preparar uma surpresa para mim. toda a gente estava a sorrir e a dizer "que fofinhos". eu não estava a perceber nada mas estava a sorrir que nem um tolinha. tu aproximaste-te e mostraste uns corações com os nossos nomes e depois me abraças-te e pediste-me para ficar contigo para sempre. dei a resposta mais sincera que podia: "óbvio que sim". depois sentámos-nos e fiquei a fazer-te miminhos, e tu o mesmo a mim. não conseguia parar de dar beijinhos nas tuas bochechas e de agarrar a tua mão. era um sensação tão boa saber que eras meu finalmente. daquelas que nunca sentiste antes mas que não te preocupas porque sabe bem senti-la. eu senti isso contigo, e com mais ninguém. porque será.

gosto mais de sonhar contigo do que qualquer outra pessoa.

he could be the one


há um ano atrás eu só pensava em nós dois e no que iria surgir se tudo corresse bem. afinal era de ti que gostava. eu sabia que eu iria cometer o erro de descobrir defeitos no que nós tínhamos, por mais feliz eu estivesse, eu própria iria estragar isso. daquela vez, cada vez mais pessoas se metiam e não estava a conseguir aguentar a pressão de ter que fazer alguma coisa só por alguém me mandava. eu queria que tudo acontecesse porque era para acontecer. não queria dar-te um beijo só porque as pessoas me diziam que era assim que funcionava as coisas, eu queria fazê-lo porque era a ti que queria para mim e queria mostrar-te o quanto gostava de ti. mas houve coisas, pessoas que eu confiava e que me fizeram mudar tudo. e eu ignorei-os, ignorei-te e esqueci todo aquele sentimento. superei e eu lá encontrei no meio desse ano, outro alguém, que pelos vistos não era quem pensava que fosse. e tu no meio disso tudo, estavas lá ainda, como amigo. mas estavas. não te tinha como antes, a nossa amizade como antes, mas pronto, tinha-te. agora, passado um ano de quanto tudo aconteceu, vejo que a tua amizade vale a pena. eu até te gosto um pouco. e está chapado na tua cara que tu também. agora que fez um ano, continuas igual mas diferente. sei como irás agir, como és por dentro, mas mesmo assim tens algo diferente. comigo estás diferente, para melhor mesmo.  e ainda bem. prefiro-te assim. 

às vezes tenho medo de olhar-te nos olhos só porque sou capaz de me perder neles.

bright petals.