estão a insinuar que o Zayn é feio, e ainda por cima nem sabem o nome dele nem da banda, omg i can't

dear diary,

a vida nem me está mal de todo. não me sinto sozinha, nem menos importante para ninguém. sinto-me bem comigo própria a cada dia que passa, coisa que à pelo menos umas semanas atrás era impossível. por isso, yey  thumbs up for me. o tumblr mesmo sendo o meu amor lindo, o limite de posts devia desaparecer, mesmo.


atração


não tenho nenhum sentimento por vocês a não ser atração mesmo. daquela que uma pessoa sente quando vê alguém que lhe agrada, sem conhecer o seu interior. assim me sinto eu, por ti, por vocês os dois. agrada-me o que vejo todos os dias, o vosso aspecto, a maneira que aparentam ser, o vosso estilo. acho que por brincadeiras vamos acabar por nos conhecer. nem quero saber como, se por mal ou por bem. desde que conheça. parecem tão engraçados, mesmo daqueles que eu gosto. são lindos, e sim, aparência física é a principal razão pelo qual eu vos quero conhecer. também como parecem parvos, dou-me com parvos. aliás sou uma yey. que giro, algo em comum não? o melhor era vocês terem a suposta coragem de dar 'o passo seguinte' sabendo que eu, vos iria corresponder na perfeição. nem quero ter a ideia de que, quando vos conhecer me vir desapontar com a vossa personalidade. seria mau demais, mas acho que não irei ficar não é? parecem sempre tão divertidos, alegres, bem dispostos, amigos uns dos outros com o vosso grupinho. pode-se dizer que eu tenho uma crush não muito forte, isso não. mas se não tivesse não escreveria isto, certo?

Delírios de Amor - XXXXIX



Lourenço: O que estás aqui a fazer mesmo?
Iara: Estás a gozar não é? - ele virou-se para me dizer que não e aí dei-lhe uma chapada para ver se acordava.
Lourenço: Calma aí stressada, o que é assim tão importante?
Iara: Fizeste-me acordar a estas horas e agora nem te lembras, lembra-me de depois colocar na minha agenda para te esganar ok ?
Lourenço: Já comeste?
Iara: Agora que falas nisso, estou faminta. Faz-me já um pequeno almoço decente.
Lourenço: Ahah, tás com a fé logo de manhã. Faz tu o teu, olha agora ahah.
Iara: Urr, estúpido.

 Quando fomos para a cozinha ele não tinha nada para comer e fomos ao café que havia no andar de baixo do prédio.

Lourenço: Então, eu, rapaz gatão e gostoso que sou, passar a manhã da véspera de natal com a minha melhor amiga obesa? Opá eu sou mesmo um fofo han?
Iara: Não te gabes, foi preciso muito para me convenceres.
Lourenço: Mas é verdade é que convenci e aqui estás. A comer uma tosta mista com isso aí comigo.
Iara: Também não sei o nome disso, como é que pedi? Credo.
Lourenço: Que vamos fazer então? Já te convidei, agora tu arranja aí ideias.
Iara: Não sei, tens a minha prenda certo?
Lourenço: Ya, e tu a minha? - disse enfiando um monte de pão na boca.
Iara: Ew, também...
Lourenço: Então dá-me. - enfiando mais um bocado de pão na boca.
Iara: Oh Lourenço, limpa-te se faz favor.
Lourenço: Desculpe sim?
Iara: Eu vou-te dar amanhã, porque hoje é muito cedo e dá azar.
Lourenço: Então fazemos o quê?
Iara: Hum, não sei...  - o Lourenço soltou um bufo e depois lembrei-me de irmos dar uma volta por Cascais, tirar fotografias no carro descapotável dele. (Não era grande coisa, mas adorava-o na mesma)

 Fomos com a música bem alta passear por Cascais ou por onde ele conduzisse, chegou um momento em que eu nem sabia onde estávamos. Como combinado fui para casa à uma, ajudar a minha mãe.
 A tarde passou rápido, a fazer os últimos preparativos para o jantar de logo à noite, e, ao final da tarde comecei a arranjar-me.

Iara: Mãããããããããããããe ! Mãe! Mããããeeee!
Carolina: Credo, que foi rapariga?
Iara: Onde está o batom?
Carolina: Dás-me cabo do juízo! Na caixinha das jóias.
Iara: Está bem!

 Para a véspera de Natal, vou usar um vestido, que vai mais ao menos até ao joelho, vermelho, de tecidos "leves", com decote em V, e renda envolta do decote. Vou também usar uns saltos pretos, e o cabelo solto com ondas.
 Quando dei por mim, já estava a enfartar-me com comida, e coca-cola. E quando olhei para o relógio, faltavam apenas 10 lindos minutos para a meia-noite. Foi aí que recebi a mensagem do Fábio, a pedir que quando faltassem 2 minutos fosse para o coreto, que ficava ao virar da esquina. Estava tão ansiosa para saber o porquê de lá irmos. Os meus pais não me queriam deixar sair de casa, mas não me importei e fui na mesma. Ia ter com ele der por onde desse.

bright petals.