summer


escola por favor acaba depressa ! 22 de Junho, chega rápidooooooooo .

ps: viciei-me nesta música. 
Nicky Minaj - Super Bass

Delírios de Amor - XI

  Só agora reparei que tinha dor de barriga, aquelas pipocas todas fizeram do meu estômago um labirinto quase impossível de se resolver. E apetecia-me mesmo dormir muito mais apesar de já serem estas horas. Cedi o meu corpo ao sono e deitei-me ali mesmo, no sofá, e adormeci em cinco segundos . Deixei-me ir numa onde de preguiça e não me importei nada. Precisava de dormir, era a única maneira de evitar pensar no Pedro e no que irei fazer até lhe poder dar uma resposta decidida.
 Dormi só mais duas horas, pois o sono acabara. Eram quatro e dez da tarde. Tinha umas quinhentas mensagens ( exagero, umas dez só ) da Vanessa. A miúda estava mesmo stressada bolas. Não estava com disposição para falar ao móvel, mandei-lhe uma SMS  que parecia-me ter demorado umas três horas a escrevê-la. Era sobre o aniversário de sete meses com o João. Gente, o aniversário é daqui a duas semanas, ainda há tempo suficiente para preparar tudo só que para eles o limite é passar da perfeição, enfim. Nem vou comentar mais antes que decida não ajudar o João.

  Levantei-me, e tomei um duche. Coloquei uma roupa meio desleixada pois não ia sair mais naquele dia. Fui comer uma taça enorme de cerais Fitness de Chocolate ( apesar de não precisar, pois já me acho mesmo muito magra, eu amo aqueles cereais são óptimos. ) e fui ver Mentes Criminosas, viciadaaaaaaaa .
Não me apetecia mesmo falar com ninguém, mas a estupidez do meu móvel não parava de vibrar e como já não o aguentava mais vê-lo a vibrar fui ver quem me perseguia.
Por espanto meu, era o André.

- Olha preciso de ajuda tua, pode ser ?

Mas eu agora sou alguma ajudante de relações ? Poupem-me.

- Vá, diz o que queres.
- Ei bruta !
- Não sejas assim, diz logo.
- Eu e a Marta andamos ...
- Não a sério ? LOL .
- Já sabias ? Ninguém sabia .
- Eu encontrei-me com ela ontem, e ela contou-me a mim e à Vanessa que também lá estava.
- Ah esta bem então.  Como começámos a namorar a sério queria oferecer-lhe alguma coisa , mas não sei o quê .
- Um gato.
- Hãn ?
- Um gatinho de estimação ou um cachorrinho , raparigas amam animais pequenos e fofinhos. Mas não demasiado pequenos.
- És genial sabias ?
- Paga-me depois, ahah .
- Querias tu, vou-lhe comprar agora , até já .
- Até já, beijinhos .

E por hoje encerro o meu atendimento a casais felizes da vida. Dêem-me um desconto, raios. Estou a começar a sentir aquela coisa de sentir-me excluída. Pode ser que quarta-feira passe, mas não sei se lhe digo que sim. Ainda é arriscado e não quero sofrer. Ai , que frustração.  O meu pensamento é interrompido pela campainha. Quem será ? Não espero ninguém.

Iara: Mãe ?
Carolina: Iara, filha. Ainda bem que estás em casa.
Iara: Que se passa, nunca vens sem avisar .
 Para ela vir sem avisar é preciso ter acontecido alguma coisa.
Carolina: É o teu irmão, filha.
Iara: Que se passa com o Diogo ? Mãe, diz de uma vez. Estou a ficar preocupada, mesmo.
Carolina: Ele está no hospital .
Iara: O quê ? Como ? Porquê ?!
Carolina: Ele foi para lá porque há uma semana constipou-se, só que há três dias começou a ter febre de quarente graus, e não conseguimos em casa tratar dele. Foi para o hospital, e está lá desde ontem.
Iara: Como não me avisaste que ele estava mal ?! Também faço parte da família, só por não morar perto de vocês não significa que me escondam as coisas.
Carolina: Não íamos esconder, mas pensámos que ele ia melhorar mas não melhorou.
Iara: E agora como é que está ?
Carolina:  Ainda não tenho notícias dele, o teu pai ficou no hospital e quando tiver notícias do Diogo liga-me.
Iara: Eu vou para lá, quero ficar com ele.

continua. 

Delírios de Amor - X

 Fomos à procura das nossas lojas preferidas, até que vimos a Stradivarius. E como sempre, ficamos caídas de desejo pelas roupas que lá haviam.
Iara: Ai V, quero tudo.
Vanessa: Mesmo mesmo mesmo mesmo !
 Entrei na loja com o passo apressado, para ver o que lá havia. Peguei pelo menos nuns dez tops , nuns três calções , dois cintos e um vestido. A Vanessa já tinha a loja no provador, tinha de tudo um pouco. Desde sapatos a laços para o cabelo.
Vanessa: Quando ganhar o  Euro Milhões , eu compro esta loja todinha .
Iara: Como é óbvio, partilhas do dinheiro comigo e eu compro também, unf.
Vanessa: Ahum, é isso tudo.
 Ela quis que eu visse como as coisas lhe ficavam, e tudo ficava-lhe perfeitamente lindo lindo. Ela só escolhia peças que realçavam o corpo dela, e os acessórios, bem, linda de morrer. Ela já é linda, com o cabelo loiro meio acastanhado, com olhos verdes claros, sim sim. A minha melhor amiga é linda.
Vanessa: Vá , agora és tu a experimentar a roupa que escolheste.
Iara: Vou experimentar primeiro os tops com os calções e já te mostro.
Vanessa: Está bem, despacha-te.
  Cada coisa que experimentava ficava mais animada, já não vinha às compras à três semanas, e sim eu venho muito às compras. Nem que seja a lojas com roupa em segunda mão, porque até lá há roupas muito bonitas.
Quando saí do provador para mostrar como fiquei à Vanessa ela quase teve um enfarte meu Deus.
Vanessa: Estás linda Jesus.
 Olhei-me no espelho e vi-me a mim, vi uma rapariga alta de cabelos castanhos, olhos verdes escuros, morena e achei piada por finalmente achar que posso vir a ser algo no Mundo. Não só a Iara que todos conhecem, mas A Iara que eu quero ser um dia.
Neste pensamento todo, deixei de tomar atenção à Vanessa até que esta me gritou.
Vanessa: Vá, já chega. Eu sei que és muito linda e tal, mas chega.
Iara: Ahah , esta bem. Vou levar tudinho, e tu ?
Vanessa: Obviamente que sim.
  Levámos tudo para a caixa, e pagámos. E daí fomos directas comprar gelado.

Cheguei a casa já eram onze da noite. Estava ainda, cheia de energia. Mas isso logo passou quando me lembrei do Pedro. Raios, tinha de o esquecer como fiz no Shopping, porque é que não é assim tão fácil ? Aquilo estava mesmo a consumir a minha cabeça, e tinha de arranjar alguma coisa para me entreter. Não consegui lembrar-me de nada, mas logo me surgiu a ideia de fazer um monte de pipocas e ver pelo menos dois filmes de comédia. O único problema que quase me ia arruinando o passatempo, foi que não tinha filmes de comédia, mas quem diria. Só que, ( a minha cabeça pensa muito, ahah ) o clube de vídeo ainda estava aberto o que dava para ir alugar filmes.
 Demorei cerca de vinte minutos a preparar tudo incluindo a buscar os filmes.
 Estava tudo a correr às mil maravilhas, até que o meu móvel toca. Quem será ? O Pedro. Só me passava pela cabeça não atender, mas e se ele se magoou e está a ser raptado ? ( oh meu Deus, já ando a alucinar.) Mas por precaução, atendi.

- Estou ? Porque ligaste-me a estas horas ?
 ( Já eram duas da manhã, e estava a meio do segundo filme e da quarta taça de pipocas. )
- Não conseguia dormir, e há meia hora que ando a dar voltas na cama. E queria alguém com quem falar.
- Quer dizer, foste dormir há meia hora e como não consegues adormecer ligas-te ?
- Exacto, sempre gostei dessa tua inteligência.
  E ri-se.
- Ai, calou. Estou a ver um filme, agora não dá.
- Oh .
- Oh nada, vá falamos quarta-feira, beijinhos e não me ligues mais a estas horas da noite.
- Não desligues.
- Porquê ?
- Diz que me amas, preciso de dormir com palavras doces na minha cabeça.
- Ai oh Pedro, boa noite para ti também.
  E nisto, desliguei sem pensar no que ele poderia pensar. Continuei a ver o filme como se a chamada não tivesse acontecido, e depois adormeci no sofá.

  Eram duas da tarde, quando finalmente acordei. E só o fiz porque o móvel tocou.
Iara: Ah , hum , sim estou ?
João: Oh meu Deus não me digas que acabaste de acordar ?
Iara: Nem comentes, ligaste para ?
João: Eu e a Vanessa daqui a duas semanas fazemos sete meses de namoro , e eu queria fazer-lhe algo especial . Será que me podes ajudar ? és a melhor amiga dela .
Iara: Claro que sim. Mas João, faltam duas semanas.
João: Eu sei, mas é para ficares a saber que eu quero tua ajuda.
Iara: Está bem então, mais alguma coisa ?
João: Por agora nada, mas espera.
Iara: Diz.
João: Olha, como vai tudo com o Pedro ?
  Estes dois são melhores amigos desde de que nasceram, e o Pedro conta tudo à querida alma do João, e pronto tenho que aturar isto.
Iara: Pergunta-lhe.
João: Ei pronto, desculpa se toquei na ferida, ahah .
Iara: Parvo, cala-te oh.
João: Ahah , falamos mais tarde, até já gorda.
Iara: Sempre muito simpático, até já feio.
 E desliguei. Estava mesmo pronta para ir para a cama e dormir, mas já eram duas e meia da tarde e pronto era tarde.

continua. 

Delírios de Amor - IX

Iara: Não , não. Não posso .
  Olhei para ele, e pareceu-me um cãozinho abandonado.
Iara: Desculpa-me , mas sem certezas não te posso dizer que sim.
Pedro: Eu, eu percebo-te. Hum , é melhor vermos-nos quarta e eu ir andando.
  Não o impedi, acabei de lhe dar tampa a mim e a ele. Podíamos estar os dois felizes juntos mas pronto.
Iara: Ah, hum , adeus Pedro.
 E foi-se embora.
 Também deveria ir , pois o meu estômago tinha uma fome ( não sei como mas enfim. ) mas queria estar ali mais um pouco, sentia-me bem naquele lugar apesar de estar repleto de teias de aranha e sabe-se lá mais o quê. Nem quero pensar, tenho um pavor a bichos, bah . Só de pensar nisso, deu-me vontade de sair dali, e saí mesmo.
 A Vanessa mandou-me um SMS a perguntar onde estava e para ir ter com ela ao McDonald's para almoçar-mos. Apanhei um táxi até lá e cheguei em menos de 10minutos . Ela já lá estava e tinha um sorriso enorme , e não havia dúvidas que ela e o João se tinham acertado.

Vanessa: Iaraaaaaaaa !
Iara: V já chega , ahah .
Vanessa: Pronto pronto, acho que já sabes que nem é preciso contar-te algo. Acho que se nota , não ?
Iara: Completamente . - E sorri-lhe.
Vanessa: E porque é que estás assim, toda tristonha ? De manhã não estavas assim . Ah já sei, deixa-me adivinhar : Pedro ?
  Raios , como é que ela consegue ler a minha cara sem errar nem um pouco ? Irritante, mesmo irritante.
Vanessa: Pronto , nem vale a pena responderes , já sei que foi ele . Que se passou ?
Iara: Ele mandou-me SMS's a pedir que nos encontrássemos e eu fui. Nem te atrevas a perguntar porquê. E falámos do que se passou durante o mês em que não nos falámos e ele disse-me coisas delirantes que ainda estão a explodir na minha cabeça , e beijou-me , e pediu-me para ficar com ele e eu não aceitei, e ele ficou chateado comigo , e pronto .
  Bolas estava farta de dizer 'e' .
Vanessa: Bem , para começar , não devias ter ido ter com ele. Depois nem devias acreditar no que ele diz, e ainda devias ter negado o raio do beijo que te deu. E mais, já o devias ter esquecido.
Iara: Dizes isso porque nunca passaste por isto. Não desejo a ninguém acredita, mas V que queres que faça ? Eu amo-o desde que o vi , e isso nunca mandou , nem mesmo que passasse 1 ano sem o ver .
Vanessa: Ai eu sei disso tudo , mas e se ele não te ama de verdade ?
Iara: Ele dá-me provas disso, agora dá. Não me pressiona , não me ignora , não me entristece , ele não me causa sofrimento agora , só me faz delirar com os beijos que ele me dá , só me faz o amar mais , raios .
Vanessa: É preciso comentar ? Não me parece. Só te digo uma coisa.
Iara: O quê ?
Vanessa: Fica com ele, se achas isso tudo , que ele mudou e tal , fica com ele. Sabes que se ele te deixar mal eu vou ajudar-te a esquecê-lo e a ultrapassares isso.
Iara: Ohhhh , és uma fofinha , amo-te melhor amiga , obrigada por tudinho mesmo.
Vanessa: Vá já chega de falar dele, ainda me enjoo .
 E rimos-nos as duas.
Iara: Então , o que vamos comer ?
Vanessa: Sei lá , hambúrguer ?  
Iara: Tipo , no McDonald's querias comer o quê , peixo no forno não ? Oh meu Deus , ahah .
Vanessa: Ahaha , não sejas assim, podias querer salada ou sopa ou Wrap .
Iara: Pronto pronto , acho que como uma Wrap daquelas novas que deu na televisão.
Vanessa: Também viste ? Wow que bom aspecto digo-te.
Iara: É a única coisa que passa na TV ahah .
Vanessa: Ahah , pois. Então vamos lá comprar as coisitas .
  E pronto , tivemos um almoço lindo lindo , rimos-nos até cair para o lado. Depois do almoço, fomos ao Shopping , e encontrámos a Marta. Bem , a Marta é uma rapariga linda de morrer, tem cabelos lisos longos e pretos simplesmente lindos. Os seu lábios de cor natural vermelha , e uns olhos verdes de fazer inveja. A rapariga está solteira nem sei como, enfim .

Marta: Olá meninas, a fazerem compras ?
Vanessa: Parece que sim, e pelos vistos tu também.
  Ela estava com pelo menos cinco sacos em cada mão, os pais delas são cirurgiões daqueles que ganham muito , é do tipo , invejaaaaaaa .
Iara: É, vejo que já fizeste algumas compras também.
Marta: Sim pois foi , daqui a pouco vou ter com o André.
  Espera aí, ela disse André ?  O André é daqueles rapazes que toda a rapariga quer. Tira boas notas, é engraçado, podre de bom , educado mas não demasiado. Ele sabe agir com estilo , ahah não sei explicar bolas. Eles andam a namoriscar há anos mas nunca nenhum deles admitiu que gostava de um do outro, mas parece que esse dia finalmente chegou.
Vanessa e Iara: O quê ? Finalmente andam ?
Marta: Ahah , sim .
 Ela fez um sorriso fofo e corou um pouco.
Vanessa: Felicidades, aproveita bem ahah .
Iara: Mesmo, aproveita e felicidades Martinha.
Marta: Ohh , obrigada fofas. Vá vou andando , aproveitem que está em saldos. É por isso que tenho tantos sacos .
Iara: Ah , okay . Até depois .
Vanessa: Adeus Marta , beijinhos.
  E mandou-nos um beijinho já longe.
Iara: Então vamos, quero muita roupinha nova.
Vanessa: Mesmo a sério .

continua. 

Delírios de Amor - VIII

Iara: Pedro ...
Pedro: Que foi ? Quero apenas conversar, estar contigo e por enquanto como amigos, como preferires.
Iara: Como amigos, tens a certeza ?
Pedro: Sim, como disse, é como preferires.
 Respirei bem fundo mesmo, até responder-lhe.
Iara: Então, está bem.
 Ele fez um sorriso, nem vos conto. Foi como quando aceitei namorar com ele, e ele fez o mesmo sorriso, tal e qual. Não consegui evitar, e sorri também .
Ele pegou-me na mão, e levou-me a sentar, mesmo junto dele mas eu afastei-me um pouco. Acho que era preciso. Ele nem reagiu, espero que tenha compreendido.
Pedro: Então, conta-me coisas.
 Ainda, estava a sorrir.
Iara: Queres saber o quê ?
Pedro: Não sei, tudo. Num mês acontece muita coisa.
 Parou finalmente de sorrir para ter um ar de abatido e culpado.
Iara: Bem, depois de nossa separação, - Agora ele olhou-me nos olhos, com um ar de culpado, nem eu acreditava. - eu fiquei de rastos, praticamente durante muitos dias fechei-me em casa, mas depois a Vanessa ajudou-me e voltei a ter a minha vida.
Pedro: Desculpa, não queria causar-te tanto sofrimento.
 Respondi-lhe com o olhar, e ele percebeu logo.
Pedro: O meu mês foi assim, depois de tudo o que houve eu fiquei mal é verdade, mas como sabes os rapazes não se fecham no quarto a comer gelado - e fez um ar a gozar "connosco" raparigas. Enfim . - mas fiquei alguns dias mesmo em baixo, mas acabou por passar e como disseste voltei a ter a minha vida.
Iara: Pois, não podíamos viver presos para sempre naquilo. Quer dizer, se eu e tu não estivéssemos presos nisto, não estaríamos aqui.
Pedro: Isso é bem verdade. Hum , fazes alguma ideia do que me vais responder ? Espera, eu sei que já me disseste que não tiveste tempo, mas nem uma mínima ideia ? Não queria esperar até quarta .
  Hesitei mesmo muito até lhe responder, mas acho que foi melhor.
Iara: Eu, olha nem me interrompas se não , não consigo falar o resto. - Ele fez sinal a dizer que sim com a cabeça. - Então, se eu te rejeitasse - Soou tão mal como o disse. - eu estaria a perder a minha felicidade porque eu ainda te amo - Agora fiquei vermelha quem nem um tomate. - mas se aceitar eu posso estar a condenar-me para passar por tudo de novo e eu não quero, sabes disso.
Pedro: Repete lá !?
 Ele diz isto porque eu gostava de ver Hannah Montana quando era mais pequenina e estava sempre a imitá-la, e tortura-me com isso. Enfim.
Iara: Mau, queres que repita o quê ?
Pedro: Que me amas.
 Ele ficou tão sério que até me espantei, e lá arranjei coragem.
Iara: Ainda te amo, tá bom ?
  Ele aproxima-se de mim, de uma maneira tão rápida que não consegui evitar e beijou-me. Eu não neguei de maneira alguma, por mim ficava lá assim o dia todo. Foi tão bom sentir os lábios dele nos meus de novo. Aquilo estava a tornar-se num hábito, mas um hábito mau para os meus queridos sentimentos que ficam ainda mais confusos.
Com a cara a um centímetro de distância da minha, disse-me.
Pedro: Precisas de mais provas que não deves ficar comigo ? Tu não consegues, eu não consigo ficar longe de ti, não o sentes.
Iara: Mas não é fácil, sabes que não. E eu não quero ficar longe de ti, nunca. Mas não me quero iludir.
Pedro: Já te disse que mudei - Sorri de novo para mim, e deu-me um beijo rápido. - acredita em mim, eu não te desiludo ou iludo mais. Aceita-me de volta .
  Nem acreditei no que lhe respondi, foi tipo a coisa que me saiu.

continua. 

bright petals.