O Diário de Jay #1

21 de Dezembro de 2004

Faz uma semana que estive com a Anita, entrei no quarto e não saí desde então. Não existia razão para sair portanto deixei-me ficar quieto, a pensar. A pensar em tudo, em nós os dois e por estranho que pareça pensei na nova rapariga, a Lara. A Annie disse-me que ela era para ser a minha tal e única. Isso não me saí da cabeça por mais que tente. Persegue-me até nos sonhos...Ou pesadelos. Também já me apercebi de que pensar nisso não vai ajudar-me a perceber o que ela quis dizer. Pensar nisso não me vai ajudar a ver o futuro, ou regressar no passado e tanto me faz. Se é essa Lara a minha única, se é a Anita ou se é uma Fernanda ou uma Maria,  não quero saber quem será. Desde que não me abandone, não me fira, não me mal trate, mas acima de tudo, que me ame. Acho melhor parar de escrever e ir arranjar-me, o Ben vem buscar-me para jantar com o pessoal. Acho que vou escrever mais vezes, sinto falta disso. Faz-me lembrar dela.

22 de Dezembro de 2004 

Beijei-a. 

(Passado 2 horas)
Finalmente consigo pegar numa caneta sem tremelicar. 
Olhei para ela à entrada do restaurante, vim acompanhado do Keith, Lucas, Ben, Chris e Matt. Durante o jantar trocámos vários olhares, nada de mais. Mas depois fomos sair, fomos dar uma volta e eu aproximei-me dela, tentei conversar com ela. Eu contei-lhe sobre a Anita, mesmo sabendo que não deveria tê-lo feito, achei que não era apropriado falar dela assim, e depois a Lara contou-me sobre o Henry. Eu vi que no início ela tentava conter as lágrimas, parecer forte mas depois não conseguiu. A minha reação foi abraçá-la. Que mais podia fazer? Não ia encontrá-lo e dar-lhe um soco... Mas depois ela olhou para mim, com aqueles olhos verdes e eles estavam a brilhar tanto, estava linda mesmo com lágrimas a caírem-lhe dos olhos. Eu só pensei que não queria deixá-la ir, nunca. E beijei-a. Beijei os seus lábios finos em tom avermelhado, e aproveitei cada segundo. Pelo meu espanto, ela sorriu-me e deu-me a mão. Veio aquele arrepio, aquela felicidade que só se sente quando estás com alguém especial. Será que a Annie tem razão? Bem, eu não vou tomar isso como algo certo, ela até nem pode querer ver-me mais, ou eu até posso mudar os meus sentimentos todos. Tanta coisa pode acontecer e acho que mesmo que a Anita esteja mudada, ela não sabe o futuro ou o que me aguarda. A Lara não me deu o número dela, não me deu nenhum tipo de contacto sobre ela. Pensei em ligar ao Ben mas ele vai brincar comigo. Tive a ideia de ir procurá-la pela cidade, e é isso que vou fazer. Vou levar o casaco e vou enfrentar o frio lá fora, por ela. Pelo meu futuro. Por um novo eu. 


No seu íntimo, Lara deixava crescer o bichinho da curiosidade por ele, mesmo sem dar conta. 
Jay amava Anita, por agora. 
Anita amava Jay e ele será o único rapaz que ela amará de verdade para sempre e ela estava preparada para vê-lo a ser feliz com outro alguém, porque esse alguém era melhor para ele e completava-o melhor que ela alguma vez poderá completar. Annie já deveria tê-lo abandonado à tanto tempo, nunca devia ter voltado a vê-lo como fez. Abdicou dele por uma barbatana, por uma vida para lá do horizonte e agora fica voltando atrás, com saudade do que sempre foi dela. Logo no primeiro dia em que a sua transformação ocorreu, ela viu o futuro, viu o Jay. Viu-o feliz, com outra rapariga, se era Lara ou não ela não sabia, mas quando alguém começasse a tomar o lugar dela no pequeno coração de Jay, Anita saberia e saberá sempre. É o preço a pagar por toda a nova vida. Ela achava que era justo, mas no fundo queria ter a opção de voltar mesmo que nunca o fizesse, gostava de saber que ela existia. Agora é tarde de mais, mesmo querendo o Jay só para ela, mesmo amando-o como nenhuma outra vai amar, ela vai deixá-lo ir para o seu destino, o seu merecido destino sem ela. 

bright petals.