wings


a dor apoderava-se de mim em todos os sentidos, possíveis e imaginários. só queria que acabasse, mas as coisas não acontecem como quero. já aprendi isso, da pior maneira, mas aprendi. só desejava um segundo de paz, um segundo de descanso. uma dor aguda direccionada em um único ponto, o meu coração, fazia o meu corpo latejar em todos os cantos. os meus olhos ardiam consoante a luz, vinda da janela, brilhava a cada hora que passava. as minhas pernas não se moviam, os meus braços pareciam moles. a minha cabeça parecia que ia rebentar e tudo em mim queria por um fim a isto. mas eu não conseguia, e isso era mais uma coisa que dava cabo de mim. 
porém, a cada dia que passava, a dor era cada vez menos. estava a sentir-me livre de novo, a pouco e pouco. as marcas que tu causaste foram sarando e eu conseguia respirar bem. a luz não já não me queimava os olhos. as minhas pernas moviam-se ao som de melodias encantadoras e os meus braços estavam agora firmes. percebi que, quando as tuas palavras me cortaram, cortaram não só o meu coração como as minhas asas e agora? agora elas cresceram de novo e eu consigo voar, sem ti, ou outra pessoa. voo sozinha e por mim. 

Comentários

  1. Novo blog, se me quiseres continuar a ler, segue-me: http://mynameismaiandwillalwaysbe.blogspot.pt/
    um beijo, mai.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

expressa-te: