O Diário de Jay #11 (último)

Para Jay, Anita quase nem fazia parte do seu pensamento. Lara tinha ocupado o lugar de Annie no seu coração e na sua mente. Ela era tudo o que ele sempre desejou, tudo o que lhe fazia bem e agora...E agora ele já não a tinha mais. A parte negativa ele sempre tentava esquecer, mas era difícil não ter o sorriso dela a melhorar o seu dia. Às vezes pensava que podia ter guardado melhor as memórias e os momentos que passaram juntos, por filmes e fotografias. Porque essas não se apagam ou morrem, essas ficam guardadas. E as memórias, por muito boas que sejam, eventualmente se trancam numa gaveta na nossa mente e não abrem mais. E Jay detestava essa ideia. Detestava como algo tão bom possa ser esquecido, mesmo não querendo que isso aconteça. Enquanto podia, fazia questão de relembrar tudo de bom que passaram antes de dormir. De vez em quando até a desenhava e guardava as poucas fotos deles os dois como se fossem a coisa mais valiosa de todo o mundo. Eram realmente a coisa mais valiosa para Jay, mas protegia-as como se a Humanidade dependesse disso. Guardava-as numa caixa que tinha pegado do quarto da Lara e colocava-a debaixo da cama, para ninguém mexer. E assim continuava o resto dos seus dias. Tentando aproveitar o que sobrou de bom da melhor coisa da sua vida. 

17 de Janeiro de 2005  

Ando a ter imensos pesadelos. Já nem sei o que fazer. Acordo todas as noites com dores de cabeça e com as mesmas visões no meu pensamento. E agora até oiço vozes. Há alguém que me chama e é por isso que acordo. Será que ando a ser drogado? Era impossível, nunca ninguém toca no que bebo ou como. Já estou é a ficar louco e sem a Lara por perto torna-se ainda mais complicado. Sinto tantas saudades dela. Imensas. Acho que nunca irão passar e eu tenho que aprender a lidar com isto.

Jay estava a melhorar nos trabalhos, aplicava-se. Estudar fazia-o esquecer um pouco das saudades que tinha de Lara e recordava-o do futuro que queria para si, e que ainda quer. E para isso ele tinha que estudar e aplicar-se. Era a única coisa coisa em que sempre foi bom e não ia deixar isso escapar-lhe. 

- Jay. 

Ofegante, Jay acordou do seu pesadelos. Mas desta vez reconheceu a voz que o acorda sempre. 

- Anita. És tu. - pensou alto. 
- Jay - repetiu. 
- Onde estás?! Aparece! - Jay gritou. Estava furioso. 

Anita não lhe respondeu, mas um cheiro a água salgada pairou no ar. Ele percebeu onde ela estaria e foi logo para a praia. 

- Porque é que andas a fazer isto? Estes pesadelos? Eu sei que estás aí, portanto responde-me - disse Jay para o mar. 
- Olá Jay - disse Anita. 
Jay se virou para encará-la e ficou perplexo com o que viu. Nem queria acreditar nos seus olhos. 
- Tu...Tu tens pernas - disse Jay pouco certo da sua sanidade. 
- Não é fantástico? - sorriu - Finalmente, depois de ter cometido um grande erro em deixar-te, podemos ficar juntos Jay. - aproximou-se dele e ia beijá-lo quando Jay impediu-a. 
- Anita?! O que é que pensas que estás a fazer? 
Ela se afastou, ofendida pelo que o Jay disse, como se ela fosse alguma estranha para ele. 
- Jay o que se passa? Sou eu, a tua Anita. Voltei, voltei por nós. 

Na sua cabeça essa desculpa não chegava. Anita por mais que amasse Jay não poderia ficar com ele, e ele sabia disso. Era a única certeza entre eles os dois durante todos os meses que passaram juntos. E agora? Ela troca o que sempre quis para estar com ele? Jay ficara feliz claro, mas não acreditava nisto. Vindo da Annie, isto era impensável. 

- És tu no sonho não és? 
- Qual sonho? - Annie fez-se desentendida.
- Tu sabes perfeitamente do que estou a falar Annie. 
- Sou eu sim. 

Jay virou-lhe as costas e começou a ir em direção ao carro. Tinha percebido tudo. O sonho, a vinda da Anita, tudo. 

- Jay! Não me deixes aqui! 
- Porquê?! Mereces isto e muito mais Anita. 
- Porque é que falas assim comigo? Não te fiz nada de mal. Aliás, fiz tudo o que sempre quiseste. Voltei por ti! 
- Se chamas matar a Lara uma coisa normal para voltar para mim, então não és a minha Anita. 

Anita ficou chocada com o que ouviu. O seu coração partiu-se em mil e um bocadinhos. Jay não podia deixá-la depois de tudo o que fez para ficar com ele, até matar Lara. 

- Jay, por favor, imploro-te, fiz tudo para ficarmos juntos - gritou, a chorar para Jay. 
Jay voltou para ela. Agarrou na cara de Annie e disse-lhe: 
- Tu vendes a tua alma a algo negro no fundo do oceano, matas a Lara em troca das tuas pernas, e chamas a isso amor? É isso que fazes para estar comigo?! Matar alguém Annie? Achas isso correto? Tu não és a minha Anita, nunca mais irás ser. Vendeste o melhor de ti. Já não és a Anita que eu amei. 

Jay afastou-se deixando Anita destroçada na praia. Chorava o seu coração, chorava pelos erros que cometeu. Chorava por Jay a ter deixado e ela sabia que ele nunca mais iria voltar. Então entregou-se. Fez o que jurou nunca fazer ao mal que se encontrava no fundo do mar, matar-se. A morte era a única maneira de tudo isto acabar. Lara não estava morta. Lara estava presa dentro de Anita. Se se matasse, Lara recuperaria a sua vida e Anita morreria no desgosto e na tristeza que existe no fundo do oceano. Como o seu amor por Jay era forte e apesar do mal que existia no seu corpo, ela sabe que o que irá fazer será o melhor para Jay e para si. Entregou-se ao mar, deixou-se perder enquanto a água tomava conta do interior do seu corpo e deixou a alma de Lara encontrar o seu verdadeiro ser. 
Jay sentiu a morte de Anita. E quando se apercebeu, o seu corpo já se tinha fundido com as ondas.  Estava a frente da porta do carro, olhou-se no vidro e apercebeu-se da alma de Anita ao seu lado. Viu-a a pairar e virou-se. 

- Annie, desculpa-me - disse Jay em lágrimas.
- Jay, não faz mal. Não era eu a pedir-te para ficares comigo. Estava possuída por um mal, estava cega e o meu amor por ti virou loucura. Má loucura. 
- Mas agora morreste. Foste para sempre - tentou tocar na sua mão, mas não conseguiu. 
- Não faz mal. Com a minha morte trouxe-te algo, ou melhor, devolvi-te algo. 
- Como assim? 
- Lara estava presa em mim, libertei-a Jay. Ela não morreu. - disse a sorrir - Vocês agora podem ficar juntos, e ser o que nós nunca pudemos. 
- Mas Annie...
- Mas nada Jay, eu amo-te muito. Mas tu já não me amas. 
- Amo-te sim! Claro que amo! 
- Amas mais a Lara e Jay, não faz mal. Eu sempre soube que nunca seria a tal para ti. Mereces alguém como a Lara e eu estou feliz que a tenhas finalmente encontrado. E agora, eu devo partir. 
- Não vás, ainda não, por favor. 
- Jay, tenho que ir. 
- Abraça-me mais uma vez. Por favor, tenta. 

E foi assim que Jay sentiu os braços de Anita pela última vez, a sua alma conseguiu abraçá-lo de alguma forma e pela última vez, o amor dos dois foi maior que tudo no mundo. Jay viu a alma de Annie a subir no céu em paz e feliz. Estava livre como sempre quis. Jay ia definitivamente cair em tristeza se não fosse uma voz doce a acalmar-lhe o coração. 

- Lara? 
- Olá Jay - disse Lara a chorar e a esboçar o melhor sorriso que conseguia. 
- Lara! - Jay correu até ela e abraçou-a. Abraçou-a como nunca abraçou ninguém. 

Choraram os dois de felicidade, sorriram, abraçaram-se forte. Lara e Jay naquele momento eram as pessoas mais felizes do mundo.  
- Tive tantas saudades tuas Jay, pensei que nunca mais iria ver-te - disse enquanto o abraçava.
- Oh eu também Lara! Tive tantas saudades tuas, tantas - disse enquanto colocava as suas mãos no rosto de Lara. - Eu amo-te mais que tudo, mesmo. 
- E eu a ti Jay. 

Beijaram-se apaixonadamente. Deram um beijo cheio de saudade, felicidade e acima de tudo amor. Lara era realmente a tal de Jay. Jay era o tal de Lara. Anita sabia de tudo. E só decidiu deixá-lo porque não queria ficar por perto para ver tudo isto acontecer. Foi assim que tudo tomou caminhos estranhos e confusos. Mas Anita conseguiu escolher, por fim, o caminho correto e partiu em paz para o sítio onde ela realmente pertencia, e só deseja a Jay o melhor.  E agora Jay sabia que tinha o seu anjo da guarda a olhar por si, e sabia perfeitamente que o seu coração estava protegido por Annie, para sempre. 

"- Vou sempre amar-te Annie, nunca te esqueças - disse Jay baixinho para Anita. 
- Eu sei Jay, sempre - disse Anita." 

Comentários