it's cold outside

o que o vento não levou, eu guardei. o que o coração perdoou, a cabeça não esqueceu. o que o passado me trouxe, mudou completamente o meu presente. e tu deste um passo no meu esquecimento até caíres no abismo mais profundo que nele há. sempre guardado a sete chaves estavas tu, o meu sentimento mais precioso esquecido mas ainda protegido pelo coração. porque entre eles haverá sempre um conflito sobre os sentimentos. e eu também não sabia qual dos dois escolher, porque eu ainda queria ter-te comigo e ao mesmo tempo esquecer-te. o toque das tuas mãos ainda estavam na minha pele, o sabor dos teus lábios ainda estavam nos meus e o teu sorriso ainda era visto pelos meus olhos. sempre pensei que os espaços entre os meus dedos eram para ser preenchidos pelos teus. sempre pensei que os teus olhos eram encantados pelos meus. e agora, enquanto espero pelo vento sentada no canto de uma janela, agarrada a uma camisola tua, eu vejo as nossas memórias a passar em cada folha que cai da árvore lá fora. como elas, nós caímos, e no chão ficámos. e espero que o vento as leve, para que eu não as guarde. e que pelo menos essas voem para lugares melhores e me deixem em paz. já que para ti, não faz diferença alguma; o que o vento não levou, eu guardei. o que o coração perdoou, a cabeça não esqueceu. o que o presente me trouxe, fez esquecer completamente o passado. 

Comentários