Leva-me Contigo - IV


- Estás aqui a fazer o quê? - ela olhou-me bem, examinou-me com o olhar e reparou que estava pálida - O que é que te aconteceu rapariga?! - o Martim afastou-se para que a minha mãe tocasse na minha cara.
- Estávamos no duche e estávamos a brincar com a água e acho que brincámos de mais.. - explicou o Tim.
- Desculpa.. - disse eu.
- Não faz mal, mas que o teu pai não sonhe com isto - disse ela.
- Obrigada mãe - abracei-a.
- Agora vão-se secar, vestir o pijama e quarto - ordenou ela.

 Assenti-mos, secámos-nos e fomos nos vestir. Vesti o meu habitual pijama que consistia numas calças fofinhas  brancas, atualmente meio cinzentas, e uma t-shirt que o Tim me deu. Ele vestiu uns calções e uma t-shirt. Como não tínhamos sono, trouxe o pc para a cama para ouvirmos música.

- Não pensas ficar no pc a noite toda certo? - brincou Martim.
- Vou meter música, posso? - dei-lhe um beijinho na cara.
- Claro - agarrou a minha cintura e colocou a sua cara no meu ombro.

 Deixei tocar uma música qualquer da lista multimédia e ficámos a conversar.

- És linda princesa - disse Tim
- És um querido amor - dando-lhe um beijinho à esquimó e de seguida apertando-lhe as bochechas.
- Acho que sou sensual de bochechas apertadas.
-  Ficas a parecer inchado, tipo peixe balão - gozei.
- Ai é? Vamos ver quem é o peixe balão agora - fez-me cócegas até me doer a barriga.
- Está bem está bem ! Ahahahahahah, já chega , já percebi ahahah ! - tentei dizer a rir-me .
- Pronto, aí tens a minha vingança. - disse ele.
- Puf, agora devias compensar-me.
- Hum, porquê? - disse ele com ar de pouco convencido.
- Porque fiz isto - dei-lhe um beijo - e isto - dei outro - e isto - dei outro mas na bochecha.
- Ainda não me convenceste - exibindo um ar de descontente e a gozar comigo.
- Pronto - dei-lhe um beijo prolongado - e agora?
- Agora sim, anda cá.

 Como nenhum momento em minha casa pode ser perfeito, o meu irmão bate à porta com o ar mais feliz de todos por saber que arruinou-o.

- Que queres ?! - perguntei eu.
- Sabes onde há pilhas? - perguntou ele com a maior inocência do mundo.
- Oh god, pergunta ao pai.
- Ele também não sabe.
- Pergunta à mãe.
- Boa ideia Mar! Obrigada - disse ele a rir e saiu.
- Ahahah
- Estás a rir-te do quê Martim?
- Do teu irmão ahahah !
- Urgh, pestes vocês os dois.
- Anda cá pequenina - puxou-me para ele e deitámos-nos.

 Ficámos, pelo que pareceu horas, a olhar um para o outro. Adorava observá-lo. Ele era lindo, para mim era perfeito. Adorava a maneira como ele falava, a maneira como os seus lábios pronunciavam o meu nome.  A maneira como ele olhava para mim, a maneira de como os seus olhos verdes brilhavam por me ver. Adorava o facto de alguém finalmente conseguir fazer-me feliz como eu sempre quis. E mesmo que não dure, para mim vai durar, no meu coração. Ele sempre me terá. Sempre.

- O que estás a pensar, Mar?
- Em ti, em como és bonito - soltou um sorriso -, em como me fazes feliz e como me faz bem ter-te na minha vida. E tu? - soltei um sorriso envergonhado.
- Bem, estou a pensar numa casa. Numa grande, com jardim e piscina, para nós. Acho que vou começar a fazer esboços. Não quero casas compradas. Uma construída por mim, com os nossos gostos e tamanhos. É isso que estou a pensar, o nosso futuro. - caiu-me lágrimas - Então amor? - disse preocupado.
Beijei-o e abracei-o bem firme - Amo-te Martim. - Ele percebeu que eram lágrimas de felicidade, mas mesmo assim não me queria ver a chorar.
- Vamos lá limpar essas coisas a saírem dos teus olhos.
- Amor.. acho que já podemos ir buscar as coisas - disse a mudar de assunto.
- Vamos lá - levantámos-nos e ele colocou o braço à volta do meu pescoço.

 Chegámos à cozinha e fui buscar a Nutella e os morangos enquanto ele foi buscar os crepes para aquecer no microondas.

- Qual o filme? - perguntei eu.
- Não sei, já resolvemos isso amor.

1 comentário:

  1. gostei do teu blog *.*
    eu sigo* segues? (: loveconquersall-clarota.blogspot.pt
    beijinhos^^

    ResponderEliminar

expressa-te:

bright petals.