Leva-me Contigo - II


Viemos os dois para minha casa e eu perguntei ao Martim se ele queria dormir cá. Ele disse que sim, mas só se o meu pai deixasse, ele quer ser um rapaz educado e que os meus pais achem-no um bom "partido" para mim.

- Pai, o Tim vai passar cá a noite está bem? - perguntei-lhe.
- Ahahah também não queres o euromilhões - disse o meu irmão,Gonçalo.
- Pode ser ? A mãe já disse que sim...
- Pronto, esta bem - respondeu-me.
- Yey obrigada papá - dei-lhe um beijo na bochecha e levei o Tim para o quarto.

Não íamos fazer nada de mais, namorar, ver filmes, jantar e apenas dormir e fazer vídeos lindos para o tumblr.  
Amanhã não tínhamos aulas de manhã portanto dormíamos as horas que quiséssemos. Os meus pais têm plena confiança em mim e no Martim mesmo tendo nós 16 anos. É por isso que os amo, são liberais mas impõem regras. E o mais importante, acreditam e confiam em mim. Eles já me contaram a história deles milhões de vezes e até já decorei algumas das deixas que eles dizem. Eu adorava que tivesse uma história como a deles, mas não consigo ver-me longe do Martim. Gostava que ele fosse o tal, como o meu pai é para a minha mãe. 

- Desta vez é a minha vez de escolher o filme - disse Martim. 
- Não escolhas ação. 
- Estragas sempre tudo Mar - disse revoltado. 
- Oh desculpa pequenino - retorqui apertando-lhe as bochechas e tratando-o como um bebé. 
- O pequenino amuou - e virou-me a cara, cruzando os braços.
- Anda cá oh - abracei-o e comecei a dar-lhe beijinhos nas bochechas passando para os lábios. Sorri-mos e ele abraçou-me de volta - então, continuas amuado? 
- Ahah cala-te oh ! - e beijou-me. O ambiente começou a "aquecer" até que a minha mãe bateu à porta. 
- Meninos, o jantar está na mesa ! 
- Já vamos ! - gritei. 
- Vamos que estou a morrer de fome - reclamou Tim. 
- Admirava-me se não estivesses - disse-lhe, sorrindo. Agarrei-lhe na mão e levei-o para a sala de jantar. 

- Hmm, está tudo delicioso Dona I. - disse Martim. 
- Ainda bem que gostas Martim - sorriu orgulhosa do seu prato. 

Adorava o facto do Martim ser tão educado e se esforçar tanto para que os meus pais gostassem dele. O Gonçalo adorava-o, era como se o Tim fosse um irmão mais velho. Ele acha-o um exemplo a seguir, mesmo picando maior parte do tempo. O meu pai aprova-o, e a minha mãe também o que facilita muita coisa.

Depois do jantar, fomos todos para a sala ver TV. Começou a dar um jogo qualquer do Sporting e a campainha tocou. Toda a gente, incluindo Martim, sabiam que seria o tio Lourenço para ver o jogo com o meu pai. O meu pai, o tio, e o meu irmão ficaram a ver o jogo enquanto eu, a minha mãe e a tia Mia ficávamos a conversar na cozinha.  

- E que tal me contares desse Martim ? - perguntou a tia Mia. 
- É, estão apaixonados os miúdos - respondeu a minha mãe. 
- Oh, eu gosto dele, ele gosta de mim e estamos juntos - conclui. 
- Vou voltar a avisar-te para ter cuidado, hoje em dia todos os rapazes se aproveitam - avisou Mia.
- Eu sei tia, mas não é o caso do Tim. 
-  Concordo com a Mia, tens que ter cuidado filha. Se acontecer alguma coisa contas-me logo - disse-me a mãe galinha.
- Ai mãe, ainda somos novos para isso ! 
- Para ele podem não ser - retorquiu Mia. 
- Confiem em mim e nele. Nada disso se vai passar, por agora - disse.
- Juízo vocês - disseram as duas em uníssono. 

Comentários

  1. estou a seguir. gostei muito do blog e dos teus textos *.*
    segues de volta querida?
    beijinho , C*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

expressa-te: