us


era tudo bonito quando começou, o meu coração nem imaginou que mais tarde ele bateria por ti. agora olha, tarde de mais não é? pois. era mais simples quando falávamos todos os dias simplesmente para nos picarmos, fazer-nos rir um pouco mais que o costume e falar de coisas que ninguém mais entende. era giro, era. e quando simplesmente me agarravas para tentar pisar-me, ou mandar-me ao chão só para me gozares um pouco mais? mesmo que me aleijasse não me importava, sabia que te tinha lá, comigo. mas depois, e depois afaste-te, afastámos-nos. superei isso, não me importei. ou melhor, nem reparei bem nisso, em nós quanto a amigos.
voltámos a aproximar-nos, não como dantes, mas o suficiente para dizer que já te tinha de novo. afastaste-te, ignorei pois não tinha mais nenhuma reação a ter. não iria ser a tua cadelinha que iria atrás de ti no matter what. e acabei por encerrar tal assunto, colocando o meu ponto final naquela história. sem ligar ao que sentia por ti, e isso já nem eu queria saber. pensava eu que tal coisa tinha acabado quando menos precisava tu voltas, com ainda mais impacto estando eu no estado que estava. na altura sentia-me vazia mesmo, e tu, tu vieste dar aquelas borboletas na barriga, vieste e com isso trouxeste tudo de volta. tudo o que estava mais que encerrado e enterrado vou a ter vida sem eu me dar conta. e quando dei, já era tarde de mais. já não podia recuar. no início pensei que não seria nada de mais, umas palavras trocadas, risos não tão iguais aos de antigamente mas também vivos. estavas tão diferente da última vez que falámos algo de jeito. mudado, muito. o teu encanto tinha mudado mas mesmo assim não deixava de me atrair. durante dias falávamos normalmente, tínhamos brincadeiras do costume, mas depois afastámos-nos. por culpa minha, desta vez. recuei na nossa amizade no medo de algo mais aquilo se tornar. e não consegui que isso me deixasse de afectar pois afectou-me imenso. não interessa o quanto nos afastemos, eu, ou tu, ou amigos em comum vai voltar-me a trazer para ti de qualquer das formas. é inevitável eu não procurar por ti, é inevitável eu não tentar chamar a tua atenção para me irritares e depois colocares os teus braços à minha volta mesmo sem sentires nada por mim. isso não me interessa nada mesmo, só quero que voltes e fiques para sempre, sem idas. percebe isso, duma vez por todas. agora, deparo-me com sentimentos por ti, mais fortes do que alguma vez senti por ti e eu nem sequer me importo. por isso abre os teu olhos e olha bem para mim e vais reparar em tudo o que sinto por ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário

expressa-te:

bright petals.