Delírios de Amor - XXXII

  O bar da praia ainda estava aberto, e fomos comer alguma coisa. O gerente era tããããããããooooo lindoooo ! E logo que o vi olhei para a Vanessa do tipo para ela aproveitar.
Iara: Olha olha, parece que hoje é o teu dia de sorte.
Vanessa: A sério, não estou para aí virada.
Iara: Não me mintas ! Só da tua baba.
Vanessa: Oh, não sejas parva !
Iara: É verdade oh ! Se fosse a ti aproveitava. Que destes minha amiga, são difíceis de encontrar !
  Ele era alto, bem musculado, um corpo bem trabalho sem dúvida alguma, loiro e com olhos castanhos claros. Devia ter 19 ou 20 anos.
Vanessa: Não sejas assim ! Vá, vamos lá beber que só desta conversa fiquei com a garganta seca ! Ahaha .
Iara: O que tu queres sei eu !
Empregado: Boa tarde !
Iara: Boa tarde ! - A Vanessa limitou-se a sorrir e a trocar um olhar com ele. Bem que disse que ela ainda ia ficar assim.
Empregado: Então, e o que vai ser ?
Vanessa: O que recomendas ?
Empregado: A nossa especialidade: tosta mista ! - E sorriu-nos.
Vanessa: Então, vai ser uma tosta mista e um sumo tropical. E tu Iara ?
Iara: O mesmo.
Empregado: Então podem ir sentar-se que já vos trago o que pediram.
  Fomos sentar-nos numa mesa mesmo em frente do balcão, a Vanessa ficou apanhadinha no entanto duvido que por uns tempos queira algo sério. Mas vamos ver no que dá.
Lanchámos, e fomos pagar. A Vanessa quis pagar o lanche e no talão o gerente colocou lá o seu numero de telemóvel ! Fiquei do tipo, ele topou tudo ? Ahaha.
Fomos buscar as nossas coisas à praia e depois fomos para minha casa.
Iara: Liga-lhe !
Vanessa: Já ? Acho muito cedo, ele ainda pensa que estou desesperada e que não perco um segundo em ligar.
Iara: Pois, talvez seja um bocadinho pequenino cedo. Depois do jantar ou isso liga-lhe. Mas não cedas muito, quer dizer, não podes parecer fácil, mas também não muito difícil e pergunta-lhe onde vive e se é solt...
Vanessa: Iara ! Chega ! Já apanhei ! Ahaha.
Iara: Ahaha, desculpaaa !
Vanessa: Vá vamos arrumar as compras, e ver dos gatinhos fofinhos e lindinhos e mega queridos e sup...
Iara: Já chega não ?
Vanessa: Ahaha , desculpa, entusiasmei-me.
  Arrumei os meus queridos e maravilhosos 15 compras, sim são muitos, mas era casa coisa linda em saldos que não resisti. Ela tinha 18, e alguns deles estavam cheios de roupa. Enfim, e depois dizem que eu sou a que gasta mais. Enfim.
 Depois de arrumar tudo, estivemos a brincar com a Angel e o Benny, encomendámos pizza e ficámos a ver filmes e isso.  Depois ela telefonou ao tal rapaz, mas ninguém atendeu. Ela esperava que ele ligasse no dia seguinte, e assim o fez. Ele chama-se Afonso, tinha 18 anos que para mim era impossível. Não parecia nada mesmo, enfim. Eles falam-se desde aí.

  As semanas foram passando, e a Vanessa e o Afonso continuavam em contacto. As férias estavam a acabar, o que é péssimo, terrível, horrivelmente horrível porque não quero aulas, e o tempo de férias é tão pequeno que devíamos ter pelo menos 5 meses de férias. Mas pronto, as minhas foram bem aproveitadas, acho eu. 
 Bem, só queria aproveitar estas últimas semaninhas de férias, que vou precisar !

continua. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

expressa-te:

bright petals.